NÃO TÃO "FELIZ ASSIM"

NÃO TÃO

Que eu tenho depressão e estou tratando ela, muitos já sabem. Tanto que a criação desse blog foi fruto do tratamento que ainda está em processo. O isolamento acompanha a depressão e no início da doença comecei a me isolar do mundo e isso só foi piorando.

O problema é que se isolar só faz com que a gente se sinta mais solitário e isso não faz bem, principalmente para quem tem essa doença. Por isso a psicóloga sugeriu o blog, era uma forma de entrar em contato com o mundo novamente. Não só isso, mas encarar a vergonha, o medo do julgamento, autoconhecimento, autoestima, etc. Ontem eu tive uma das crises de solidão e, nessas horas, você se torna um míope. Esquece de tudo que conquistou e só enxerga essa tristeza. Muitos dizem que eu não deveria me sentir assim, porque eu oro, creio em Jesus, Ele é tudo o que eu preciso e que deveria me sentir completa, mas ainda assim eu sinto falta.

Todo mundo precisa de amigos para abraçar quando estiver mal, ouvir piadas, trocar experiências, dicas, alegrias e tristezas. Eu sou uma pessoa que gosta de ficar sozinha para me recarregar, mas preciso de amigos para descarregar essa energia, só que eu não sei prolongar conversas ou criar laços de amizades. Toda vez que tento, sinto uma onda de adrenalina e meu cérebro acaba se embananando. Parece que desaprendo como formar frases coerentes ou perguntas interessantes. Sou 99% introvertida, mas aquele 1% extrovertida (não resisti kkkkkkkkk)

Eu tento puxar conversas com muitas pessoas, não fico esperando elas chegarem, mas logo noto que as pessoas não se interessam em prolongar o assunto, em te conhecer além do superficial e nunca mais voltam a me contactar, apesar de tentar por um longo período mandar mensagens novamente para ver se algo muda. Claro que quando sair desse lenga a lenga, a 99% introvertida chega para atrapalhar o resto.

Eu tenho muitas tristezas, medos, incertezas e inseguranças, mas nunca compartilho elas aqui. Sempre quando eu escrevo é sobre conquistas e alegrias, mas nunca sobre meus medos, dias ruins e verdades nuas e cruas. Afinal, esse blog não era para ser um diário? Quero que vocês vejam quem realmente sou. Não sou essa menina toda “feliz assim”. Eu tenho muitos dias de luta, muitas delas começam quando tento sair da cama.

Aliás, é muito mais assustador escrever sobre a verdade do meu dia a dia do que sobre alguns momentos de alegrias. O Senhor me abençoou com amigos no meu colegial e faculdade, apesar de não nos vermos, eles seguiram a vida e estão ocupados, mas eu sei que a amizade continua. Mesmo assim, sinto falta desse contato diário de antigamente.

Não sei você, mas eu acho que preciso encontrar pessoas como eu, que tentam e persistem em construir algum laço além do “coleguismo”. Que se importem de verdade com você, além do que possa beneficiar. Minha mãe, meu pai, meu irmão e meu namorado são tudo para mim, mas todos sabemos que precisamos de amigos para balancear a nossa vida.

ps.: as duas fotos acima foram tiradas no dia que estudei um pouco de fotografia na paulista. Essa é a real Letícia nesse dia. Estava muito triste, tinha dormido mal e não queria ter saído de casa, mas no post que fiz desse dia contei apenas as alegrias e descartei as tristezas e esse sorriso aconteceu porque a fotografa disse:

Lika

Related